Acredito que nascemos e crescemos influenciados pelo resto da vida pelas referências e amores dos lugares onde vivemos os primeiros tempos.

Assim, o mar, apesar de hoje estar distante, faz parte de mim como um dedo da minha mão.

Aprendi a perceber seu infinito, seus humores, e principalmente a vastidão de seus mistérios…

O que leva a profundeza do mar a criar formas de vida tão estranhas, tão libertárias e revolucionárias, como se fossem tiradas de um sonho?

Reconheço que meu fascínio é mais plástico que biológico… apesar de saber com quem estou lidando…reproduzir essas formas é como contar um sonho…